About

Image and video hosting by TinyPic

Teste Teste Teste

Cidade Nova Heliópolis.... São Paulo Brasil.

Teste Teste Teste

Tecnologia do Blogger.

Social Icons

Seguidores

Posts em Destaque

quarta-feira, 11 de maio de 2011

 
Sabe aquele ditado ´´uma imagem vale mais que mil palavras`, creio que a maioria das pessoas já o ouviram por ai, então  resolvi compara-lo com o que vimos já que   nesse caso do museu caiu como uma luva, pois podemos juntar imagens e palavras ao mesmo tempo  (tendo nas imagens fator primordial da história do museu) para descobrirmos a origem da nossa lingua que é muito rica graças as varias culturas existentes em nosso país..É notorio que aprendemos dia a dia com todos na vida e principalmente na linguagem que se transforma a cada dia certo ´´TIO``. Nessas imagens esta nitido que os jovens interagiram com a monitora e com a história do museu ,eles acharam incrivel não é sempre que alguem discute sobre a origem da lingua,tendo em vista que já nascemos com ela imposta de alguma maneira pra gente,mas já que o assunto é lingua Portuguesa vamos aos relatos.
´´Da hora Drica não sabia que tantas palavras tivessem origens estrangeiras``

´´Muito loca aquela parte de montar palavras``

´´Nossa ´´Tio`` fiquei o tempo todo naquela parte que fala dos varios modos de se falar no Brasil``

Viu como  uma linguagem muda de acordo com as pessoas,houveram outros relatos com certeza, mas em cada jovem chega de uma maneira única e muito rica.
Sei que o texto pode parecer confuso,mas não é, para quem enxerga com outros olhos a riquesa os ohos da igualdade,pois se a maioria deles não conheciam o museu, pelo menos nossa lingua eles a conhecem e transformam a cada dia  com um dominio esplendoroso.
Certo irmãozinho (a), mano ,tio, vai vendo é nois.....
Belê um salve a todos.
TURMA DA TARDE .PJU- LAGOA.
Viu  como a  imagem as vezes valem mais do que mil palavras


2 comentários:

  1. Este Museu é realmente um mundo fascinante da História da nossa Língua, apesar que tenho algumas críticas mas não vem ao acaso neste momento... Gostaria de saber o que as turmas acharam deste momento? Gostaram de ir ao Museu da Língua Portuguesa? Sei lá coisas assim...
    Desde já deixo um convite pra vocês passarem em nosso blog e conhecer um pouco das nossas turmas e deixar alguma mensagem:

    http://pjucccf.wordpress.com/

    Abracios do lado leste da cidade, fui.

    xVANDERx.

    ResponderExcluir
  2. Viva Adoniran Barbosa. E o que falar da mídia?

    Escritores riem da tese da Globo sobre língua popular e livro didático 'errados'
    Enviado por Adriano S. Ribeiro, sex, 20/05/2011 - 10:06
    Autor:
    Adriano S. Ribeiro

    Os escritores Marcelino Freire e Cristovão Tezza participaram nesta semana do programa "Entre aspas", apresentado por Mônica Waldvogel na GloboNews. Com bom humor, os dois escritores rechaçaram a tese da Globo (e da velha mídia), que, a partir de trechos retirados do contexto, ataca o livro "Por uma vida melhor", adotado pelo Ministério da Educação para turmas de jovens e adultos.

    Quando a apresentadora fala em "regra errada do português", imediatamente Tezza, professor aposentado da UFPR, a interrompe e a corrige: "Variedades não padrão".

    Mônica responde: "Estamos tucanando aqui". Ao que Tezza rebate: "É um conceito linguístico esse. Todas as línguas do mundo funcionam assim, são variedades. [...] A diferença entre dialeto e uma língua é que uma tem exército, e a outra não. É a história das línguas."

    Marcelino Freire cita o poeta Sérgio Vaz: "Quando a gente diz nós vai, é porque nós vamos".

    Tezza explica:

    "Quando você constrói uma gramática escrita, você escolhe formas, passa a escrever essa formas, passa a defendê-las. E elas passam a ser o certo. E aí se começa a estigmatizar o que não está daquela forma. Isso é construção histórica das línguas padrões [...].

    O conceito de variedade linguistica é fundamental, não há mal nenhum em mostrar aos alunos, mesmo dos primeiros anos, que a língua é um conjunto de variedades, inclusive para trabalhar com a diferença e a importância da norma culta. O que não precisa é humilhar ninguém para fazer isso.. é um processo esmagador, a escola tem muito poder, o aluno chega lá, só fala a variedade dele, o professor vai olha, você é burro, senta ali no milho... não. Vamos trabalhar de outra forma. É uma questão didática."

    "Que conselho vocês dão aos que estão tão preocupados?", questiona a apresentadora, ao final do programa.

    É a deixa para Freire arrematar:

    "Vão de Adoniram Barbosa: "Arnesto nos convidou / prum samba ele mora no Brás / Nóis fumo, num encontremo ninguém..." [mais risos]

    Fonte:
    http://drrosinha.com.br/livrodidatico/

    ResponderExcluir